Archive Page 2

26
nov
08

Você sabe lidar com Críticas?

“Criticar é uma forma indireta de se vangloriar.” Emmet Fox

“Antes de sair criticando a geração mais jovem, se lembre de quem a educou.” Desconhecido

Críticar pode se tornar algo doloroso. Mas quando é válido se torna uma importante fonte de aprendizado sobre você mesmo e sua vida.

Muitas das frases e dicas que vou usar para ilustrar este artigo podem ser usadas para entender um pouco mais sobre críticas e como lidar com elas. Mas também podem ser usadas para percebermos porque críticamos e espero que nos fazer pensar em como isso pode ou não ferir as pessoas a nossa volta.

1. Entenda atráves da experiência.

“Não critique o que você não entende, filho. Você nunca caminhou com sapatos daquele homem.” Elvis Presley

“Qualquer tolo pode criticar, condenar e reclamar e a maioria dos tolos o faz.”
Benjamin Franklin

É fácil cair na armadilha de criticar as coisas porque você pensa e acha que elas estão erradas. Mas você realmente sabe o que está criticando?

A partir de minha própria experiência, tenho criticado menos a partir do momento que parei para entender, para ter conhecimento do assunto e só então criticar, se for para ser construtivo claro.

É fácil ser um critico geral, se na sua percepção você está sempre certo. Faz com que você se sinta bem, que está defendendo sua opinião e seus direitos. Mas já parou para pensar que você não está sempre certo? Ao seu ponto de vista talvez, mas na maioria das vezes, se analisarmos o contexto geral, não estamos com a razão total, ou nem razão temos.

2. Lembre-se de quem são os créditos.

“Não é a crítica que conta; nem o homem que aponta como o forte erra, ou como ele poderia ter feito melhor. Os créditos pertencem a homem que está na arena, cuja face está arruinada por poeira, suor e sangue, que se esforça valentemente; que erra e tenta novamente; porque não há esforço sem erro e falhas; mas aquele que se esforça para cumprir suas obrigações; que faz com grande entusiasmo, com grande devoção, que se entrega a uma causa, que sabe melhor que ninguém o triumfo de realizar e no pior, se ele falhar, ao menos falhou tentando. Este lugar nunca pertencerá a aqueles cuja a tímida alma não conhece o que é vitória ou derrota.” Theodore Roosevelt

Pensamento interessante o de Roosevelt e algo que eu acho na minha humilde opinião que devemos ter em sempre em mente. É fácil criticarmos que poderiamos ter feito algo melhor, ou dizer que algo não presta, mas nós mesmos tentamos fazer melhor mesmo? e se tentamos, será que conseguimos fazer melhor mesmo?

Eu acredito que assistir as coisas acontecerem e não fazer as coisas acontecerem não é a melhor opção de vida. Cada vez que você está olhando algo acontecer, é porque provalmente você não está fazendo algo pra ajudar que poderia estar fazendo. Tal comportamente, ao menos a mim, não me faz sentir bem comigo mesmo e com minha vida.

3. Mantenha foco naquilo que é útil para você.

“O artista não tem tempo de ouvir os críticos. Aqueles que querem ser escritores leêm as críticas, mas aquele que quer escrever não tem tempo para ler as críticas.” William Faulkner

Se Você está fazendo algo, falhando, aprendendo e repetindo tudo para melhorar, você está realmente fazendo algo que vale a pena.

E vai lhe ajudar muito se você manter seu foco no que realmente importa. Se você olhar para os lados, provalvemente verá pessoas vaiando ou animando você. Mas você só conseguirá atingir os resultados esperados se sua atenção estiver voltada para o que você está fazendo, e não para o que estão dizendo de você.

O fato é que você pode até ouvir os pensamentos positivos das pessoas que te apoiam, mas você também terá de ouvir os negativos também.

E como lidar com este problema? Você pode ouvir a todos, mas não precisa levar ao pé da letra tudo que disserem. Não se procure nas opiniões alheias. Entretanto, veja se você está seguindo por um caminho positivo valendo-se das opiniões dos outros. E deixe as pessoas saberem quem você é, e não o que elas pensam quem você é.

É realmente bacana ser elogiado, faz você se sentir bem e com mais gás para realizar algo, mas temos que ter em mente, que nem sempre serão elogios que vamos ouvir – existe a crítica negativa, e minha dica, por mais difícil que pareça, é analisar a crítica, sem explodir em raiva, mas emoções negativas bloqueiam os pensamentos, e depois com calma avaliar, aprender com a crítica e melhorar, ou se não for válida, descartar.

Meu conselho é para você não se preocupar muito com as opiniões alheias. Eu já fui assim, tudo eu precisava saber o que as pessoas pensavam, e isso só me fez mal, é mail fácil levar o dia-a-dia, se você faz as suas tarefas se não estiver esquentando a cabeça com o que estão dizendo.

4. Não aceite o presente.

“Um homem interrompeu a leitura de Buda com uma enxurrada de abusos. O Buda esperou até que o homem termina-se e então lhe perguntou, “Se um homem oferece um presente a outro, mas o presente é recusado, a quem pertence então o presente?”

“A aquele que ofereceu,” disse o homem.

“Então,” disse o Buda, “Eu me recuso a aceitar seus abusos e peço que fique com eles para você.”

Simplesmente não aceite o presente de um crítico. Você não precisa. E então ele ainda vai pertencer a pessoa que lhe ofereceu.

Mas é claro que é fácil dizer isso, mas fazer isso não é tão simples.

O conselho do Buda é realmente incrível, você pode escolher não aceitar o “presente”, mas isso pode não funcionar sempre, pois se estiver emocionalmente vulnerável, uma crítica pode vir a derrubar o emocional de vez, mas mesmo assim, tente manter isso em mente.

Esta dica para mim é muito importante. Principalmente quando você está tentando aprender a lidar com críticas, às vezes uma crítica negativa pode ajudar a crescer, mas às vezes só server para destruir, tente não aceitar essas.

5. De quem você fala?

“Quando você julga ou crítica outra pessoa, não está dizendo nada a respeito da pessoa; e sim sobre algo que precisamos de crítica em nós mesmos.” Desconhecido

Quando você crítica alguém o que isso diz sobre você? E quando alguém está criticando você o que está realmente sendo revelado?

Se alguém lhe faz um ataque pessoal ou simplesmente usa palavras destrutivas contra você tente se lembrar que as críticas não são sobre você. Criticar pode ser um meio de quem crítica tem para estravazar sua raiva, frustação ou inveja. Ou mesmo uma maneira que essa pessoa tem de reforçar seu ponto de vista ou aquilo que ela acredita ser certo. Ou mesmo essa pessoa possua o hábito de envolver os outros emocionalmente em uma espiral de negativismo para ter atenção. Ou seja, é sempre sobre ela mesmo. E não sobre algo que você tenha feito.

Se lembrar disso, que o ataque não foi a você, pode ajudar a acalmar animos, e também ajuda a lembrar que a outra pessoa também é humana e teve um péssimo dia ou semana.

Quando sentir vontade de críticar, pergunte a si mesmo porque. Toda vez que você estiver criticando algo lembre-se que você estará atacando a si mesmo também e reforçando seu estado de mente atual e comportamento.

6. Sempre há uma escolha melhor.

Então, o que podemos fazer em vez de críticar para que alguém melhore? Eu acredito que a melhor maneira seja estimular a melhora na pessoa, focando-se naquilo que ela faz melhor, em vez de sair jogando os esforços da pessoa no ralo.

Você já deve ter percebido em sua própria vida, que se dedicar a fazer suas coisas é motivador, traz entusiasmo e produtividade, a energia escapa quando nossa atenção se perde em alguma outra coisa, ou seja, as críticas podem tirar nossas energias de algo que estamos fazendo, então, às vezes temos de ignorar para que continuemos com foco naquilo que queremos alcançar.

7. Aceite que sempre haverão críticas.

“Críticas é algo que você pode evitar facilmente não dizendo nada, fazendo nada, e sendo nada” – Aristóteles

O ato de criticar é uma forma de auto-expressão ou é baseada na falta de entendimento de algo, então há pouco que você possa fazer para escapar de ser criticado. Você pode claro minimizar suas interações com pessoas altamente negativas e com hábito de criticar tudo e a todos. E simplesmente mantenha o foco no que está fazendo em vez de se atentar as críticas.

Mas não importa o que você esteja fazendo, sempre haverá alguém para criticar, alguém que não vai entender, vai achar que o ponto de vista dele é o certo. E você vai ter que aprender que isso é normal, viva com isso, aprenda a aceitar que haverão críticas e aprenda a viver com elas. É normal.

Anúncios
25
nov
08

A obrigação de opinar

Olá, caros e fiéis (ou não!) leitores!

Que droga de blogueiro sou eu, não? Formei uma equipe maravilhosa e nunca mais postei… Os textos que a Mary e o Sérgio fizeram me deixaram até desconcertado, e talvez seja por isso que não escrevo há tanto tempo.

Às vezes estou no ônibus, ou no carro, talvez até no banheiro e tenho uma pequena “sacada de fim de festa”, mas logo desaparece. Bom, na verdade não desaparece: eu sou quem destruo o pensamento por julgá-lo infame tendo em vista os grandes acontecimentos da atualidade. Aí, este autor que vos escreve tem a brilhante idéia de escrever sobre: “A crise econômica e seus reflexos na educação”, ou “A literatura de auto-ajuda e sua ineficácia de ajudar”, mas sou barrado por que não tenho opinião sobre esses assuntos! E quem faz isso sofre um grande preconceito!

Já reparou que quando estamos em uma roda de amigos, em uma festa, e alguém fala sobre um assunto desconhecido, somos compelidos a mentir, ou ao menos a manear a cabeça enquanto pensamos: “Do que diabos esse cara está falando?!”. De alguma forma nos sentimos obrigados a sempre ter uma opinião formada sobre qualquer assunto. SEMPRE. Futebol, amor, trabalho, família – enfim! – para tudo temos uma resposta pronta. Mesmo que seja vazia, do tipo: “Nesse caso eu considero que vai de cada um…” ou “Ou não! Vai depender da situação.”.

Isso me leva a pensar: “Como ou que força nos faz sentir obrigados a opinar?”. A resposta veio no mesmo dia, quando praticamente obriguei um colega a ter uma opinião sobre o humor inglês ou adotar as idéias que eu defendia. O que nos obriga a ter resposta para tudo é a sede de convencimento que temos. Queremos que os outros humanos tenham idéias que possamos subjugar ou que adotem aquilo que tomamos como verdade.

E isso não é de todo ruim. Afinal, não é isso que, no fundo, esse blog tenta fazer? Convencê-lo a pensar como nós?

É pessoal, isso leva-nos a uma grande crise de identidade. As minhas sugestões são que nos policiemos na hora de opinar. Aprendemos a ficar calados. Tentarmos nos desvencilhar desses “grilhões invisíveis de obrigação subconsciente” (tá vendo o negócio de querer se passar por inteligente?).

E acima de tudo, tomemos cuidado ao tentar convencer nossos pares de nossas crenças e paixões. Afinal, “aí vai de cada um”.

18
nov
08

Dicas para uma vida melhor

Existe uma grande diferença entre viver e meramente existir. E não estou falando do corpo humano, e sim de nossa alma, aquilo que preenche a casca que chamamos de corpo.

E como foi que comecei a pensar nestas dicas, simples, quando fiquei doente a um ano e alguns meses atrás, onde me caiu a ficha que eu poderia morrer se não mudasse minha vida e começa-se a viver de maneira melhor.

Meu organismo teve uma recuperação espetacular, mas minha mente demorou a entender tudo isso. Eu tive muito apoio, de amigos, de família, e uma absurda força de vontade e resolução pessoal de que eu tinha que mudar. Neste processo, aprendi algumas coisas, ainda estou aprendendo, mas que norteiam como sou hoje e gostaria de compartilhar com vocês:

Acorde pela manhã com algo em foco para seus dias.

O nascer do Sol é belíssimo, mas é realmente difícil sair da cama se não temos alguma motivação para encarar o dia. Procure traçar objetivos para o seu dia, para que acordar não se torne um problema.

Faça pelo menos meia hora de exercícios regularmente.

Praticar exercícios é o melhor remédio para o corpo e a alma. Ajuda a melhorar sua saúde física e mental de muitas maneiras. Faça acadêmia, ou corra no parque (como eu faço 3x por semana), se movimente com algum esporte, mas deixe o sedentarismo de lado, vai por mim, vale o esforço.

Faça algo que ame ao menos uma vez por semana.

Claro, você até pode fazer todos os dias, mas sabemos que às vezes é impossível. Então mexa-se e faça algo ao menos uma vez por semana, se curte ir ao cinema, vá aos sabados curtir um bom filme, se é sair na balada, saia com amigos e aproveite. Você conseguindo manobrar seu tempo e lhe dar algum prazer, você se poupará de magoar as pessoas próximas, pois estará feliz e satisfeito.

Durma o suficiente.

O Sono é curativo, quando você têm uma boa noite de sono. Altere seus hábitos para dormir um pouco mais, você irá repor suas energias para o dia seguinte e encarará os desafios com mais força.

Ame como se fosse a primeira vez.

Talvez você tenha amado e se magoado, mas isso não é razão para desistir e não amar novamente. O truque é estar feliz amando e não deixar se ter dor de cabeça, esqueça a pessoa que existiu antes, mas não a lição aprendida. Não repita erros, aprenda com eles, e não magoe quem vier depois.

Dê o melhor de si no trabalho.

Existe um senso de satisfação, de dever cumprido, que surge apenas após um trabalho bem feito. E quando você sabe que fez o seu melhor, quando os resultados começarem a aparecer, reconhecido ou não, você estará se sentindo bem consigo mesmo.

Guarde algum dinheiro.

Mesmo você estando no emprego mais seguro do mundo, não gaste todo o seu salário e viva de pagamento em pagamento. Guarde alguma coisa todo mês, seja para os dias difícies ou para montar uma poupança para a férias ou comprar algo que goste. Sempre mantenha o hábito de gastar menos do que ganha. Use cartões de crédito com prudência e pague sempre suas contas em dia.

Não se negue a abusos ocasionais.

Se você está de dieta, dê uma escapada de vez em quando. Um pote de sorvete inteiro pode ser o fim da sua dieta, mas um potinho não irá fazer mal nenhum. Não faça todos os dias, mas de vez em quando esquecer as regras é bom.

Viva de acordo com sua consciência.

Somos bons por natureza, são as circunstâncias que nos forçam a reagir a novos ambientes e situações. Ao fim do dia, o que vale mesmo é colocarmos nossa cabeça no travesseiro e dormir tranquilamente. O mundo não é preto e branco, mas cheio de variações de cinza, então não se culpe se tiver que ser ruim de vez em quando, pense com sua consciência se o que está fazendo é certo, nem sempre o certo é o bom.

Se vista bem, esteja apresentável.

As roupas fazem a pessoa. Eu nunca acreditei muito nesta premissa, mas é fato, esteja apresentável que você será levado a sério, esteja mulambento que você será tratado como um mulambento.

E viva feliz sempre, ou ao menos tente!

10
nov
08

De dentro para fora…

Muitas vezes, as coisas acontecem e ficamos amaldiçoando tudo. “Caramba! Por que isso agora?”, “Que droga, o que eu fiz pra merecer isso?”, “Quando é que isso vai mudar?”…

Lembrando do meu primeiro post, podemos mudar isso. Enfatizando mais uma vez, o Sérgio, você controla isso. Mas ninguém disse que é fácil, ha!

Somos criados sempre olhando para os outros e ao nosso redor. E acabamos esquecendo que nós é que influenciamos esse ambiente.

Como você quer alegria ao seu redor, se você “emana” raiva, tristeza e sentimentos negativos?

A mudança precisa acontecer de dentro de você, para fora. Sei que podem falar que é egoísta pensar em você primeiro. Pense comigo: se você estiver maus, como vai ajudar os outros?

Não há como funcionar diferente. Se você conseguir essa mudança interior, vai “transmitir” alegria, coisas positivas e consecutivamente, atrair esses sentimentos pra você e tudo vai melhorando aos poucos. É simples ação e reação.

Então, antes de sair reclamando, pare, reflita e veja onde você pode mudar.
Mude, sorria pra você mesmo. Pense naquilo que te deixa mais feliz… Eu por exemplo, penso no sorriso da minha afilhada. Nada como um riso infantil autêntico pra nos fazer rir. Pense naquilo que te faz feliz, mantenha essa imagem com você e siga em frente.

Minha mãe sempre dizia: “cara feia pra mim é fome!”
Você tem fome de quê? Alegria? Entao se alimente com bons momentos e sorria.

Claro, também não saia cutucando quem está de mal-humor…
Respeite os outros. Não se pode ajudar quem nao quer ajuda…
Fique na sua, ajude quando pedirem ajuda. E até mesmo quem está mal-humorado vai acabar se contagiando…

Vamos começar então?

10
nov
08

Como você reage ao mundo?

“Entre estímulo e resposta está a liberdade de escolha.” – Viktor Frankl

Pense comigo, algo acontece em seu dia-a-dia que pode disparar emoções negativas e comportamentos negativos de sua parte, o que você faz? Você se sente derrotado ou sem inspiração ou deixa sua raiva tomar conta, você deixa seu lado negativo tomar conta de você?

Como eu, eu acredito que na maioria das vezes, você deixa o negativismo tomar conta, mas como lidar com isso? Acredito que a melhor maneira de se lidar com essas situações é agir como você gostaria de se sentir.

Vamos imaginar que alguém que você conheça esteja tendo sucesso na vida. Telvez essa pessoa tenha sido promovido no trabalho ou esteja melhorando de vida. Talvez essa pessoa esteja se saindo melhor que você na escola.

Talvez você se sinta mal com isso, nervoso, irritado ou até mesmo com inveja. E talvez você começe a falar mal desta pessoa para os outros. Isto não é incomum (já fiz isso). Isto é um comportamento reativo. E provavelmente você não fez por mal, foi uma reação negativa sua do subconsciente, e saiba que há como se evitar isso, com pequenas mudanças em sua mentalidade.

Mantenha em sua mente, em primeiro lugar que apenas você pode mudar o seu sentimento em relação as coisas que o rodeiam.

Você pode escolher quais ações irá tomar. Claro, que controlar emoções é difícil, principalmente por causa de nossa cultura e comportamento, temos o hábito de invejar o sucesso alheio. Mas você não é apenas reação instintiva. Você está no controle delas, você pode escolher o caminho fácil das coisas e reagir com instinto, ou parar e refletir alguns minutos e depois decidir o que quer fazer.

Então, quando você se encontrar em uma situação que irá disparar algum sentimento negativo e influênciar seu comportamento, tente se lembrar de agir como você gostaria de estar se sentindo.

Em vez de se sentir invejoso ou começar a falar mal, tente comprimentar e felicitar a pessoa. Pense positivo, ofereça suporte a mesma.

Não é fácil, mas se começarmos a agir desta maneira, podemos chegar a um sentimento positivo e de suporte de maneira genuína com o tempo, tente manter o comportamento negativo longe de você sempre.

Eu tenho algumas dicas para tentarmos agir desta maneira, as quais eu tento usar e melhorar a mim mesmo, e admito que as vezes erro também, mas ao menos tenho consciência de que tenho que tentar mudar.

Tente permanecer conciente. A maneira mais simples que conheço é o famoso “contar até 10”. Isto lhe dá tempo de parar e perceber o que está acontecendo, em vez de reagir de uma vez, e sair gritando e esbravejando (tem funcionado comigo ultimamente, mas ainda preciso praticar mais). Você pode tentar também respirar profundamente enquanto conta, ajuda a acalmar os animos e relaxar a mente um pouco.

Tente também se identificar menos com suas emoções. Fazer escolhas fica mais fácil se você agir um pouco mais com a razão e a lógica do que com a emoção. Não leve as coisas sério demais, relaxe um pouco e tente entender a situação que você se encontra.

Pense também no que está dentro de você. Tente comparar seus sentimentos, tente analisar os sentimentos que você acredita que tem de mudar em si mesmo, tente imaginar como se comportar de maneira diferente.

Pratique. Às vez eu acho que o maior problema é que sempre que vemos conselhos interessantes como estes e achamos interessante, passamos a tentar aplicar, mas depois depois de um tempo começamos a pensar “Bem, eu já sou assim a algum tempo, e mudar é algo difícil e amedrontador, pra que mexer com time que está ganhando né?”
Difícil sair deste círculo vicioso, eu sei, mas com prática aos poucos esse novo modo de pensar vai fazer parte do seu dia-a-dia.

Mas também pare e pense, agindo como eu gostaria de me sentir não estarei eu sendo falso com as pessoas? Ou não estarei eu escondendo algum problema atrás de um sorriso e uma atitude positiva?

Eu não vejo isso como uma maneira de ignorar problemas, mas sim como uma maneira de encarar os mesmo – se eles existem mesmo – é uma maneira construtiva de parar de se sentir “a vítima”. E eu falo por mim, tenho o hábito de reagir negativamente as coisas primeiro, e nem sempre me faz bem, e não é fácil sair deste pensamento de que tudo de ruim está acontecendo comigo e começar a descontar nos outros, e encarando as coisas desta maneira, eu desconto naqueles que amo, o que machuca as pessoas. Eu sei que consigo parar para analisar se o problema realmente existe ou é minha resistência natural e pessoal que está criando o mesmo.

Os problemas na maioria das vezes são mais simples do que parecem, mas nós criamos monstros dentro da nossa própria mente, e pior, continuamos a alimentar este monstro, com sentimentos negativos, tornando o “problema” maior e maior.

E sim, você pode se sentir um falso não sendo ciumento em relação ao sucesso de alguém. Mas isso é porque não se sentir assim ainda não familiar a você. Você aprende a se comportar e aceitar, e um dia será natural você se sentir feliz pelo sucesso de alguém, e será um sentimento verdadeiro.

Pensem amigos, agir como gostaria de se sentir também não é uma fórmula mágica, não irá resolver seus problemas. Agir assim vai lhe ajudar sim a desenvolver um hábito saudável, e você conseguirá ter mais controle das coisas em vez de explodir em fúria, raiva e toda sorte de sentimentos negativos que irão fazer apenas mal a você, e passar a analisar a fonte real do problema e passar a tentar resolvê-lo de maneira eficaz.

Você já experimentou agir assim? Me conte sua experiência nos comentários?

02
nov
08

E falando em felicidade… (Apresentação)

“Santa sincronicidade, Batman!”, diria Robin. 🙂
Estava eu, pensando nesse assunto e quando chego para fazer meu primeiro post, ta-da!

Oh, mas antes, vou me apresentar.

Eu sou Mary Farah e aqui cheguei convidada pelo André para integrar a equipe de colunistas do Fim de Festa.

E como todo fim nada mais é que um recomeço, nada como reciclar para manter algo vivo. Boa sacada, André!

E voltando ao tema da felicidade, mencionado já pelo Sérgio, existem mais coisas a serem consideradas.

A felicidade em si é uma grande coisa que permeia a vida inteira? Ou é feita de pequenas felicidades e alegrias que temos no decorrer da vida?

Caro leitor, no meu ponto de vista, se você ficar procurando uma grande coisa para dizer que é feliz, vai procurar a vida toda. Porque a nossa vida traz momentos muito alegres. Uns mais, outros menos intensos, porém, eles existem.

“Minha vida não presta e nunca serei feliz” são coisas que se tornam realidade se você continuar pensando nisso. Afinal, você acaba se convencendo.

Minha mãe dizia que a felicidade é careca nas costas. Uma vez que ela passou, não tem como pegá-la.
Bom. Aquela que passou, você não pega mesmo. Mas e a outra, que pode aparecer? Ou melhor, enfatizando o que o Sérgio disse, a outra que você vai fazer acontecer, hein?

Muita coisa mudou, evoluiu. E a mentalidade das pessoas também. A felicidade eterna não existe. Primeiro, porque nada é eterno. Até mesmo os diamantes podem se desgastar, embora levem muuuuuuito tempo.  Depois, porque quem fica parado é múmia e poste. A mentalidade tem que evoluir pra acompanhar. Senão você passa o resto de sua vida “sentado”, esperando o momento de partir deste mundo. Quem vive no passado é arqueólogo, museólogo e acreditem, mesmo estes, usam de modernidade pra estudar o passado.

O passado é uma lição para que você faça do seu presente algo sensacional que vai te propiciar alegrias no futuro. É o que o Sérgio disse, você faz a sua felicidade. 🙂

Eu comecei o post dizendo que pensava em fazer minha primeira coluna sobre a felicidade. Por que?

Eu trabalho como babá de uma linda nenê de 7 meses. E fui acompanhar o pai dela a uma sessão de fisioterapia respiratória no Hospital da Criança do Hospital das Clínicas de São Paulo. Tudo pago pelo convênio. Então, nem entrei naquela parte de emergência “pública”.

A sala de espera estava cheia. Há uma triagem básica, onde as atendentes pegam os dados, a carteirinha do convênio, você assina o protocolo e etc. Chegamos ali às 14h, porque a consulta era as 14:30. Pegamos nossa senha e aguardamos. Fomos atendidos às 14:45.

Nesse período, três bebezinhos (o mais novo tinha 2 meses e o mais “velho”, 4 meses) foram internados.
Havia uma menina numa cadeira de rodas, pálida e sem cabelo, magra. Com certeza estava fazendo quimioterapia e eu acredito que ela tinha leucemia. Duas crianças pequenas com síndrome de dawn (a gente percebe pelos olhos) foram atendidas. Enquanto nossa bebê pulava em meu colo, feliz e saltitante, sorrindo para nós.

Eu agradeci muito. Muito.
Por não ser aquela mãe, aquele pai que estava acompanhando um dos bebês internados, ou a criança com leucemia ou ainda, as crianças com Dawn. Não é nada fácil ver aquelas criaturas pequenas, praticamente indefesas com soros, tubos e máquinas. É horrível. Pensar no caminho que vão trilhar as crianças com Dawn, o cuidado que esses pais terão…

“Não acredito que você vai se basear “na desgraça alheia” para definir sua felicidade…”, você pode ter pensado agora. Mas não é uma questão de aproveitar ou me basear, com intuito maldoso. O fato está ali, ele existe. Aquelas crianças estavam lá, numa situação mais delicada. Cá estou eu, saudável, com todos meus membros funcionando bem…

Existem coisas que podem ser muito piores do que o que estamos pensando ou sentindo. Claro, temos o direito de sentir e vivenciar o momento. Inclusive da dor, da tristeza. Mas não podemos fazer dele algo muito longo, durável. Ele vem e passa. Temos que deixar passar, temos que fazer passar. Se ficar olhando para trás, você não vê o que tem na frente! Foco! Foco! Olha pra frente, pra seguir o caminho.

Qualquer dia, eu conto pra vocês sobre o sentimento de uma pessoa com síndrome do pânico. Não, não é frescura, sim, é uma doença, mas tem cura. E não é contagiosa.

Como diz uma amiga: “Nada como algumas coisas mais fortes para colocar nossos problemas nos devidos lugares…”

Olhe ao seu redor, pense no que mencionei…
Será que você não é mesmo feliz?

E se não for, sempre tem o juramento pessoal sugerido pelo Sérgio.

Vá a luta e conquiste a sua felicidade.

30
out
08

Onde está a tal Felicidade????

Bom, amigos e leitores do “Fim de Festa”, cá estou eu como colunista neste Blog, para aqueles que não me conhecem, meu nome é Sérgio Lopes. E a partir de hoje, estarei regularmente escrevendo algumas idéias e loucuras por aqui.

E pra começar, já parou pra pensar na tal “Felicidade” (e não me venham com refrão de música de pagode hein..), então, A felicidade é algo que todos nós, no planeta, de alguma maneira sempre estamos buscando, procurando, e quase sempre procuramos apenas em lugares errados e que acaba nos causando ainda mais sofrimento.

E sabem porque isto acontece? eu acho que é porque estamos sempre procurando fora da gente algo que possa trazer felicidade, quando se procura felicidade em todos os lugares, nunca se encontra onde realmente está, junto de nós.

Eu acredito que todos concordem que felicidade não tem nada a ver com bens materiais, como dirigir um carro legal, ou ter um título de prestígio. (entretanto essas coisas trazem prazer para a vida… não sou hipócrita para não admitir)

Felicidade também não depende dos outros, entretanto estar amando, estar com pessoas que lhe dão suporte, amizade, que lhe trazem bons sentimentos, ajuda a aumentar o prazer de viver e facilita a busca pela Felicidade.

Felicidade também não depende do que acontece, então se você ficar parado no lugar, vai estar tudo bem e se você se mexer para fazer algo, também vai estar tudo bem.

Ou seja, Felicidade não pode ser encontrada no mundo exterior.

Mas afinal de contas, você pode estar se perguntando, onde então eu encontro Felicidade?

Simples, pare de procurar em algo externo algo que você só irá encontrar dentro de você. E tome a decisão de ser feliz.

Deixe-me repetir:
Felicidade DEPENDE apenas da sua decisão de ser feliz.

Então, pare e pense um pouco, você já se decidiu em ser feliz?

Meu palpite é que NÃO… meu palpite é que você ainda não parou de reclamar das coisas que acontecem em sua vida.

Então eu faço o convite, seja Feliz!

Vamos juntar forças e sermos felizes. Repita junto comigo, mão direita levantada:

Eu, (seu nome), decido ser feliz a partir de agora, independente do tempo, do mundo, ou o que acontecer comigo. Eu sei do fundo do meu coração que Deus me deu o direito de ser feliz. Então que a luz de Deus que eu sou, Eu reclamo meu direito de ser feliz.
Que assim seja.

E lembre-se a cada dia, ser Feliz depende apenas de você.




Categorias

Calendário

outubro 2018
S T Q Q S S D
« jul    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

Status do Blog

  • 6.233 hits
Anúncios